CAIXOTE DE HISTÓRIAS

sexta-feira

DICAS DE UMA CONTADORA DE HISTÓRIAS 


ESTRATÉGIAS PARA CONTAR HISTÓRIAS



1) Escolha do repertório:





Pesquise, estude, encontre uma história que te encante , pois torna-se mais prazeroso na hora de recriar a história. O trabalho de pesquisa é o que toma mais tempo e dedicação do contador de histórias. É preciso atentar para a qualidade dos textos, das imagens, o gosto pessoal, o do público, e o espaço...

2)  Seleção de gestos e vozes:


Esta seleção não pode ser deixada para o momento de contar, temos que ensaiar com antecedência os gestos, movimentos e vozes que vamos usar. Se podemos fazer muitas vozes, muito bem, mas é preferível contar com uma só voz para todos os personagens do que confundir as vozes ou começar com várias e abandoná-las logo.
A voz merece especial cuidado, pois é um elemento fundamental da narração oral. Evitar falar muito lento para não adormecer o público, mas também não tão rápido, para não adormecer as palavras. Falar alto para ser ouvido sem esforço na última fila. As pausas são necessárias, observando sempre para que não sejam prolongadas.

3)  O corpo:



A expressão corporal é importante, pois acentua a troca dos personagens com a mudança das expressões do rosto e atitudes diversas do contador.

 4) A naturalidade:





O contador deve escapar das sofisticações, vozes afetadas, excessivas dramatizações ou tons de superioridade. A falta de espontaneidade e naturalidade diminui o efeito realista e sincero do conto e dificultará a “entrada” do ouvinte na história. É preciso passar tranquilidade, mas a naturalidade não significa, “falar” o conto, mas sim contar o conto, a entonação é diferente do "falar cotidiano".

5)  O olhar:




É fundamental olhar nos olhos das pessoas, como se estivesse contando para aquele ouvinte: o olhar estabelece a comunicação instantaneamente. Os olhos podem expressar mais que palavras.

6) Os recursos:



O contador de histórias também vai se descobrindo dentro do enredo e como condutor dessa viagem, deve surpreender os ouvintes com a utilização de alguns recursos. 
Fala, vestimentas, livros, fantoches, dedoches,  músicas, instrumentos, álbum seriado, caixa de histórias, teatro de sombras e o que mais a criatividade sugerir.

7) Linguagem:





Não fuja das palavras consideradas difíceis do vocabulário, as crianças precisam ampliar seu repertório de palavras, absorver novos significados e mesmo que pareça estranha, muitas vezes , dentro do contexto, a palavra toma forma conhecida. Porém se houver manifestação de incompreensão, faça comparações utilizando sinônimos.


8) A Intervenção:





Se algum ouvinte interromper sua história, querer chamar a atenção, improvise uma estratégia rápida para voltar à cena de maneira carinhosa, porém segura a fim de que os outros não se dispersem. A participação dos ouvintes deve ocorrer partindo da proposta do contador em interagir com o público, mas não podemos deixar que as crianças sintam-se punidas em fazer silêncio. Elas precisam estar concentradas na história por prazer e interesse.

9) A conclusão:




Nem sempre as histórias necessitam ter carater pedagógico com ensinamentos morais, éticos, sociais, explícitos no final. Também não é recomendável que o contador induza ou explique a conclusão ou a moral dessa história. O importante nesse momento é que o entendimento, a interpretação, é individual e nesse caso deve-se respeitar a construção do conhecimento do indivíduo como ser crítico e participativo desse enredo. Gostoso também é poder sonhar e se divertir com as histórias sem o comprometimento de decorar, memorizar ou ter que fazer a conclusão final.



10) A marca:


           


Para fechar com "chave de ouro" esse momento mágico, o contador de histórias pode se transformar num ser mágico, num artista, num cantor, num ENCANTADOR, promovendo oficinas, brincadeiras, distribuindo lembrancinhas, isto é, algo que ilustre a história e marque sua passagem na memória de seus ouvintes para sempre.

BOA VIAGEM AO MUNDO MÁGICO DA LITERATURA !



LEMBRE-SE:

MAIS GOSTOSO QUE SORRIR É DESPERTAR SORRISOS!



HEVELYN ROLIM










segunda-feira

Dessa vez o Caixote de Histórias se abriu na Casa de Lucas em Santo André

O Caixote de Histórias de Teca se abriu nos dias 20 e 21 de Outubro na Casa de Lucas em Santo André, um Núcleo Beneficiente e Educacional que conta com o apoio de colaboradores.
Durante esses dias, de dentro do Caixote, não só saíram histórias encantadas como certamente foram guardadas lá dentro com muito carinho tantas outras que construímos durante esses momentos de magia que compartilhamos...
Amei esse lugar, nos transmite paz...uma sensação de "colo", é isso mesmo...melhor definindo, um lugar acolhedor e aconchegante. Pessoas que se dedicam às crianças por amor e respeito, lá conheci não só um pouco do trabalho da Instituição, mas de pessoas que prestam vários trabalhos voluntários.
Não vejo a hora de voltar...Vale a pena visitar!!!
Parabéns à coordenadora Angela e suas educadoras e deixo aqui meus sinceros agradecimentos pelo carinho com que me receberam...



                                        http://www.youtube.com/watch?v=rhzF76quGl4


Beijos multicoloridos!!!
Teca

terça-feira

O caixote de histórias se abriu no Colégio Santa Bárbara

Em comemoração ao Dia das Crianças, o Caixote de Histórias se abriu no Colégio Santa Bárbara e Teca contou um tequinho de contos, cantos e encantos...
Veja um tequinho dos momentos mágicos que passamos juntos...


 
                            Um super beijo estalado, vermelho de pintinhas amarelas!
                                                                                                            Teca

DOCES LEMBRANÇAS - Viva e Deixe Viver ao som de Pato FU


                                
Oi pessoal, desculpe-me pela ausência. Estou buscando mais emoções, informações e experiências para armazená-las em meu "caixote"de histórias.
E, hoje, especialmente, estava vasculhando alguns vídeos para uma exposição quando percebi que viajava ao som de Pato Fu - Live And Let Die - Música de Brinquedo, imediatamente,  lembrei-me de Fabiana Prando (contadora ou encantadora de histórias), dos colegas da oficina de contação de histórias do VIVA, daquela mesa de guloseimas, logo na porta de entrada, hummm, daquele sábado doce com sabor de "quero mais"!!!
Que delícia!!!
Resolvi então, largar minha pesquisa inicial e matar a saudade revendo as fotos e revivendo esses momentos tão especiais...
Fantástico poder voltar um pouquinho no tempo, né?
Beijos adocicados...
Teca

                                                                

POR QUE UM CAIXOTE ? (Veja as fotos!)

Se a vida é uma caixinha de surpresa, a minha é um caixote!!!
 No início pensei em adquirir um baú, enfeitá-lo para levar em minhas contações, porém ao mesmo tempo em que pensava nessa atividade outras coisinhas pessoais iam me acontecendo...surpresas, decepções, alegrias, novidades, desapontamentos, mais aventuras, enfim, surpresas e mais surpresas...
Daí, lembrei dessa frase tão comum: " A vida é uma caixinha de surpresas".
Pois é a minha, de tantas e tantas surpresas...virou um caixote!
Foi assim que surgiu a idéia de aproveitar a frase em minhas atividades...
Aí está o meu caixote!




Dentro dele guardo um mundo encantador, que está sempre querendo bater asas para  voar até as crianças...
Que delícia quando essa tampa se abre... voa sapos, princesas, onças, bruxas, fadas, baratas, sapatos, e tudo que você imaginar e o que não imaginar também!!!
Beijocas esvoaçantes...
TECA

segunda-feira

AGENDA

                                 OUTUBRO

 
20/10 - Contação de histórias na Casa de Lucas - Santo André - 14h
21/10 - Contação de histórias na Casa de Lucas - Santo André - 08h
23/10 - Biblioteca Hans Christian Andersen com o Grupo Os Tapetes Contadores de Histórias - 10 h
25/10 à 30/10 - Curso de Contação de histórias no Senac - Penha - 9h às 12h

24/10 - Pq.Lydia Natalizio Diogo - Feira de Troca de Livros -10h às 15h
25/10 - Reunião com dirigentes de CEIs sobre contação de histórias na Cei Monsenhor Biraghi - 14h

vídeo: Teca conta a história da Dona. Baratinha




Contação de história: A Dna baratinha no Dia das Crianças...Colégio Santa Bárbara
http://www.youtube.com/watch?v=ErwdHOHpHKE

Foi um dia maravilhoso, realmente um momento mágico!!! Aqueles olhares estatelados dos pequenos que mal piscavam me levaram a emoções encantadoras...
Aliás, raros são os momentos em que vi crianças tão quietinhas dentro de uma sala...ou estavam fascinados com a história ou com medo da Teca. kkkkk

quinta-feira

Reflexão: A parábola do lápis

Deixe suas marcas por onde andar... Lembre-se, assim como os lápis, podemos registrar nossas vidas da melhor forma possível, e o melhor, temos a oportunidade de corrigir os erros que cometemos. Então, que sejamos os melhores lápis desse mundão, de preferência apontados e coloridos. Beijocas coloridas TECA

Tudo o que eu realmente precisava saber, eu aprendi no "Jardim da Infancia"

Esse é um texto de Robert Fulghum, mas traduzido por Ernesto H. Simon




Que esta mensagem prepare seu coração para uma nova maneira de ver o quão importante são pequenas atitudes que tomamos ao lidar com os nossos "pequenos".
Se você parar para refletir, verá que também passou pela mesma experiência e foi feliz e por que atualmente alguns educadores, algumas Instituições de Ensino, algumas "propostas pedagógicas", não visam a apredizagem significativa? Sinto que um modismo apostilado é comercializado como "qualidade de Ensino", Será?
Será que o conceito de qualidade aí, está no sentido correto da palavra ou é como sempre, uma estratégia de MARKETING...
Pense e me comente, pois eu também vivi isso e como  lembro... minhas lembranças ainda possuem o cheiro do suco de uva e do bolo de chocolate que eu carregava na lancheira. (não lembro da cantina)
Bom, vamos ao texto! 
" A maior parte do que eu realmente precisava saber sobre como viver e o que fazer e como ser, eu aprendi no Jardim de Infância. Na verdade a Saberdoria não estava lá, no alto do Morro da Faculdade, mas sim bem alí, na caixa de areia da escolinha.
As coisas que aprendi foram estas:
Reparta as coisa, jogue limpo, não bata nos outros, ponha as coisas de volta onde as encontrou. Limpe a bagunça que você fez, não pegue coisas que não são suas, peça desculpas quando machucar alguém, lave as mãos antes de comer, puxe a descarga, biscoitos e leite quentinho fazem bem, viva uma vida equilibrada,...
Aprenda um pouco e pense um pouco e desenhe e pinte e cante e dance e brinque e trabalhe um pouco...todos os dias.
Tire um cochilo todas as tardes, quando sair por aí, preste atenção no trânsito e caminhe de mãos dadas, juntos com os outros.
Observe os milagres que acontecem ao seu redor. Lembre-se do feijãozinho no algodão molhado, no copinho plástico. As raízes crescem para baixo e a plantinha para cima e ninguém realmente sabe como e por que, mas todos nós somos assim. Peixinhos dourados, porquinhos da Índia e ratinhos brancos e até mesmo o feijãozinho do copinho plástico - todos morrem. Nós também.
E lembre do livro de João e Maria e a primeira palavra que você aprendeu sem perceber.
A maior palavra de todas: OLHE!!! Tudo que você precisa mesmo saber está aí, em algum lugar. As regras básicas do convívio humano, o amor, os princípios de higiene, ecologia, política e saúde.
Pense como o mundo seria melhor se todos - todo mundo- na hora do lanhe tomasse um copo de leite com biscoitos e depois pegasse seu cobertorzinho e tiresse uma sonequinha. Ou se tivessemos uma regra básica, na nossa nação e em todas as nações, de colocar as coisas de volta nos lugares que as encontramos e de limpar a nossa própria bagunça. E será sempre verdade, não importa quantos anos você tenha, se você sair por aí pelo mundo afora, o melhor mesmo é poder dar as mãos aos outros, e caminhar sempre juntos."

Espero que você tenha também revivido suas emoções e lembrado do tanque de areia, dos castelinhos e bolinhos, enfim, da sua infância no Jardim da Infância, aliás que nome lindo, não é?
Por que será que mudaram para Educação Infantil ou Pré-escola?
Pena!!!





Beijocas com sabor de suco de uva e bolo de chocolate!!!
TECA


sexta-feira


PROJETO
ESTAÇÃO ALEGRIA
(Contação de histórias)
PROPOSTA: Formar parcerias com Estabelecimentos de Ensino da rede particular, levando aos alunos o projeto de contação de história e incentivando a participação dessa comunidade no trabalho de arrecadação de auxílio material para serem doados às Instituições Filantrópicas de Assistência às crianças e idosos,onde também se realizará, além das doações, o projeto “ESTAÇÃO ALEGRIA”.
Objetivo geral da contação de histórias:
Possibilitar uma viagem por espaços mágicos, habitados por seres encantados com um toque especial.
Auxiliar no desenvolvimento do imaginário, da criatividade e até mesmo no autoconhecimento, uma vez que trabalha as emoções de cada indivíduo.
Usufruir de um momento lúdico, movido à fantasia e imaginação.
Perceber a contação de história como uma manifestação da arte e da cultura.
Objetivos específicos do projeto:
Propiciar a captação de recursos materiais aos abrigos, como lares de crianças e idosos, creches, visando a melhoria das condições dessas instituições, no que diz respeito à alimentação, higiene pessoal e do estabelecimento, vestimentas, calçados, brinquedos (novos ou usados em bom estado), enfim, qualquer recurso que venha contribuir para melhorar o atendimentos dos atendidos.
Para saber mais: As crianças e adolescentes, assim como muitos idosos, quando chegam aos abrigos, normalmente já trazem uma história de vida marcada de sofrimento pela negligência, abandono, violência física, sexual ou psicológica.
Nos abrigos ficam aos cuidados de pessoas em regime de trabalho plantonista e a vínculos afetivos profissionais e voluntário. Apesar dos esforços das Instituições em se adequarem, ainda não são suficientes para proporcionar um atendimento que supra as reais necessidades dos abrigados ou atendidos.
Para isso contamos com essa CORRENTE DO BEM entre Instituições Particulares de Ensino e Instituições de Assistência às Crianças e aos Idosos.
Metodologia: Contação de histórias com utilização de cantigas infantis,  objetos, fantoches, acessórios, elementos verbais e corporais.
Interação com os ouvintes, podendo ser trabalhados oficinas e projetos”ganchos” pela contadora  de história, pelos educadores ou monitores do local, dependendo da necessidade, espaço físico, disponibilidade de tempo ou número de atendidos.
OBS: No caso dos funcionários do Estabelecimento, favor solicitar sugestões à contadora, que poderá fornecer material ou num outro momento fazer oficina com os próprios funcionários.
Com a devida autorização, as atividades serão fotografadas para serem postadas no BLOG da contadora de história, TECA PETECA.
Repertório de histórias (algumas sugestões):
·         Dito e Feito
·         O pote e a semente
·         O sábio real e o modesto monge
·         A roupa nova do Rei
·         Mario, o Marinheiro e as 9 irmãs
·         Os quatro irmãos (continuação do início da Estação Fantasia)
·         O caso do bolinho
·         A última carta de Umbelino, o macaco
·         Ameba
·         O Domador de Monstros
·         A rã, a vaca e o sapo boi
Conclusão:
As instituições serão beneficiadas com as doações e os atendidos com histórias, músicas, carinho, alegria, pois Teca conta um tequinho de contos, cantos e encantos e assim todos, crianças, idosos, adultos funcionários, voluntários e a contadora de histórias também, todos unidos nessa corrente da ESTAÇÃO ALEGRIA,  serão mais felizes, não para sempre, mas até a próxima vez, a  próxima vez da próxima vez, a próxima vez da vez, a outra próxima vez e assim por diante...
“ O homem só é reconhecido como homem porque ele sonha e imagina”
Deus os abençõe!
Um super beijo estalado, vermelho de bolinhas brancas...
TECA

quinta-feira

O que é a ESTAÇÃO ALEGRIA ?

ESTAÇÃO   ALEGRIA
PROJETO CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
Aqui, Teca conta um tequinho de contos, cantos e encantos...
O que é a Estação Alegria?
Bom, vou ter que te contar uma história...
Era uma vez um rei chamado Sol. Todos o conhecem...Poderoso, os seus raios são espadas. Majestoso, os seus raios são de ouro e mais do que todo o ouro valem. Generoso, os seus raios são fios de vida.
Poderoso, majestoso e generoso era este rei, mas tinha um grande desgosto - os seus quatro filhos davam-se muito mal uns com os outros.
Chamavam-se os quatro irmãos, por ordem de idade, a começar pelo mais novo: Primavera, Verão, Outono e Inverno. Brigavam constantemente, porque todos queriam governar a Terra. Assim pensando, o rei Sol decidiu que cada um deles governasse por sua vez, durante um período...Mas essa é uma outra longa história, que resumindo, bem resumidinho, por maiores que fossem as qualidades de cada um, nunca estavam satisfeitos.
Logicamente, as pessoas também não ficavam felizes completamente, aliás são pessoas, não são?
Umas não gostavam do calor, outras não gostavam do frio, umas não gostavam de flores ou eram alérgicas, atchimmmmmmm.,outras não gostavam de frutas, nem de folhas secas, de árvores peladas, ops! Difícil satisfazer  a todos...
Assim, num reino não tão distante assim, logo alí, aqui, lá, acolá, uma mocinha, não tão jovem assim, pedagoga, professora, sonhadora, também não estava contente e pediu ajuda à fadinha “ALEGRIA” e juntas criaram a ESTAÇÃO ALEGRIA” que chega onde e quando você quiser...Nessa estação, você não passa frio, não sente calor, não espirra, não tosse, pois o seu desejo é realizado imediatamente com o poder de sua IMAGINAÇÃO...Durante o período que a ESTAÇÃO ALEGRIA estiver presente, é certo que um mundo de fantasias, sonhos, encantamento também estará e mais...lhe ensinará a continuar feliz, mesmo quando chegarem  os irmãos PRIMAVERA, VERÃO, OUTONO E INVERNO, pois a sementinha da alegria brotará em seu coração para sempre...
Um super beijo encantado...
TECA


segunda-feira

Sou teu anjo - Anjos de Resgate




LINDÍSSIMA!!!
A letra dessa música nos leva a uma viagem interior...
Numa reflexão sobre nosso papel frente aos "pequenos"...
Aos educadores, será que esses seres iluminados sabem o peso imenso de suas palavras, gestos, olhares, sorriso?
Às mamães, será que sentem a luz que irradia de seus dedos num toque de carinho, a energia que seus olhos transmitem, a força das palavras...?
A sociedade tem consciência de seu papel perante esses seres em desenvolvimento?
Pois é, há vários anjos aqui que não sentiram ainda o poder de suas "asas",  mas mesmo assim... voem, abracem, amem que certamente os pequenos estão recebendo toda sua luz protetora de PAZ E AMOR.
Assim como os vagalumes que são seres  especiais na natureza, pois possuem brilho próprio, existem pessoas especiais que são iluminadas por "DEUS" para cuidarem de nossas crianças.


                                                                                                                                                       Beijos
TECA 

sexta-feira

CREDO DOS CONTADORES DE HISTÓRIAS

  
 Creio que a imaginação pode mais que o
conhecimento.
 Que o mito pode mais que a História
 Que os sonhos podem mais que os fatos.
 Que a esperança sempre vence a
experiência.
 Que só o riso cura a tristeza.
   E creio que o amor pode mais que a
morte."

  ASSIM CREIO...                 
    BEIJOS
      TECA

quinta-feira

PROPÓSITO...



É notável que  crianças e adolescentes tenham acesso restrito a uma diversidade de manifestações artísticas e culturais, e esta debilidade não é fruto da negligência da instituição de ensino nem tão pouco dos professores, mas sim da real impossibilidade, pois na atualidade para que se tenha constante acesso as mais diversas expressões da arte e da cultura é preciso arcar com despesas extremamente onerosas, dispor de tempo muito bem administrado para que os objetivos propostos não se percam em infundadas desculpas do cumprimento de conteúdos programáticos...
Em função deste indicador, elaborei o projeto “ ESTAÇÃO ALEGRIA”, que muito mais que um plano programado e determinado em papéis, é um “propósito”, e vem trazer algumas possibilidades, ainda limitadas, mas constantes  de acesso à cultura, a arte e a música.
Ninguém pode voltar e criar um novo início, mas todo mundo pode começar hoje e criar um novo final.

 Beijos
Teca

Estação Alegria: Oficina "Brincando com Histórias"com Fabiana Prando - Apresentação

http://www.youtube.com/watch?v=E00Cx6sqy5I

Estação Alegria: Oficina Brincando com histórias- Ip Oc

http://www.youtube.com/watch?v=4kLrGAmOTCI

terça-feira

MUDANÇAS


Tem um ditado oriental mais ou menos assim:
“Eu quero mudar o mundo. Mas... o mundo é muito grande!
Vou começar pelo meu país. Mas... o meu país é enorme!
Talvez pelo meu estado. Mas... são tantas as cidades!
Já sei: pela minha cidade. Mas... nela tem tantas ruas!
Vou mudar a minha rua. Mas na rua há muitas casas!
Quem sabe pela minha casa!? Mas nela há varias pessoas!
Então... vou começar por mim.”
Em outras palavras:
 “Nós precisamos ser a mudança que queremos ver no mundo” (Ghandi)


Um super beijo
TECA


"O homem só é inteiramente humano quando brinca" (Friedrich von Schiller)


Será exagero afirmar que indivíduos quando tornam-se adultos, transformam-se em seres passivos de uma sociedade sugadora do tempo, dos sonhos , ou até mesmo da necessidade de ser feliz?
Não percebemos que a praticidade da vida moderna nos fragmenta...
Percebem que hoje raciocinamos menos?
Brincamos menos?
Gargalhamos menos?
Nos emocionamos menos?
Sonhamos menos?
Será a falta de tempo ou estamos presos a uma rotina social que nos massacra e nem nos damos conta?
Pois é, o ADULTO que se permite uma "trégua", é surpreendido por emoções e aventuras, isso se lançar-se de corpo e alma no mundo infantil...
BRINCAR é uma forma de aprender, de conhecer o mundo,
Ler é viajar no âmago da emoção,
Contar histórias é experimentar a mais sublime sensação de ser pleno,
Educar é a arte de explorar o íntimo de cada indivíduo em transformação e transformar-se também ,
Ser Educador é vivenciar todas essas experiências e sentir-se mais humano.


Beijos
Teca